And like the cat I have nine times to die

Eu amo gatos há 22 anos. Era maio de 1996, tarde da noite, eu estava vendo filme com a minha mãe na sala de casa. Ouvimos um miado bem baixinho vindo da garagem. Era uma gatinha magra, de três cores, uma cabeça enorme e olhos esbugalhados. Ela iria apenas passar a noite e ser doada no dia seguinte. Ela viveu por 21 anos comigo, até … Continue reading And like the cat I have nine times to die

When she talks, I hear the revolution

Desde sempre eu vi, li e ouvi homens falando de mulheres. O disco Mer de Noms do A Perfect Circle, como sugere o título, tem músicas com nomes de mulheres (Judith é minha preferida). Também tem o Aégis do Theatre of Tragedy, com o mesmo conceito, todas as músicas com nomes de mulheres (Cassandra a preferida aqui). As duas bandas possuíam mulheres na formação, mas … Continue reading When she talks, I hear the revolution