A balada do Black Tom, Victor LaValle

Lovecraft criou algo imenso dentro do terror. Esse lance do horror cósmico é algo que beira a genialidade, e ele com certeza influenciou muitos escritores. Porém, não podemos esquecer que Lovecraft era um lixo de pessoa, escória mesmo. Ele era racista, xenófobo e mais um monte de desgraça. E aqui entramos no ponto: é possível separar o autor da obra? A minha resposta é não. … Continue reading A balada do Black Tom, Victor LaValle

Uma conversa fora das redes sociais

Hoje mais cedo eu tirei uma foto de duas recentes leituras e escrevi um texto para o Instagram. Achei estranho porque não consegui marcar pessoas, mas “apertei enter” e nada da postagem aparecer. Descobri que todas as redes tinham caído, todo mundo desesperado e etc. Aí me toquei que eu tinha feito algo que eu vivo condenando: dependi de uma rede social para entregar um … Continue reading Uma conversa fora das redes sociais

Terra fresca da sua tumba, de Giovanna Rivero

Quem lê meus textos já está cansado de saber que um dos meus gêneros preferidos é o que apelidei de “mulheres maravilhosas que escrevem contos estranhos”. A maioria dessas mulheres é latino americana, e hoje trago mais uma delas: a boliviana Giovanna Ribeiro. Terra fresca da sua tumba foi publicado no Brasil neste ano, numa parceria das editoras Jandaíra e Incompleta, com tradução de Laura … Continue reading Terra fresca da sua tumba, de Giovanna Rivero

A polícia da memória, de Yoko Ogawa

Publicado neste ano pela Estação Liberdade (com tradução de Andrei Cunha), A polícia da memória de Yoko Ogawa é um misto de drama com ficção científica. Lançado originalmente em 1994, o nome da autora começou a aparecer mais por conta da tradução que o romance ganhou para a língua inglesa em 2019. Ele foi finalista do National Book Award for Translated Literature, e no ano … Continue reading A polícia da memória, de Yoko Ogawa

Os sete maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid

Como diz a minha bio no Cine Varda, eu fui alfabetizada com a Revista SET. Sem exagero algum, eu folheava aquelas revistas antes mesmo de saber ler direito. Quando criança, eu sabia o nome de todos os atores e atrizes famosos. O amor pelo cinema clássico de Hollywood começou ali. Em 2018 eu maratonei o podcast You Must Remember This e conheci diversas histórias obscuras … Continue reading Os sete maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid

Uma tristeza infinita, de Antônio Xernexesky

Mais de uma vez me deparei com a pergunta: “Como teria sido o trabalho de Virginia Woolf, Sylvia Plath e Anne Sexton se elas tivessem sido medicadas?”. Não apenas elas, mas vários escritores que tiveram vidas breves e deixaram poucos trabalhos. Muitos falam que a dita genialidade deles vinha justamente dessa tristeza infinita. Ellen Forney, autora da HQ Parafusos fala bastante disso em seu trabalho. … Continue reading Uma tristeza infinita, de Antônio Xernexesky

Nada vai acontecer com você, de Simone Campos

Comecei a ler Simone Campos nos idos de 2010, 2011. Ali havia começado o meu interesse em ler autores contemporâneos brasileiros, e adquiri No shopping, e A feia noite, livros lançados pela autora em 2000 e 2006, respectivamente. Gostei bastante e acabei presenteando uma amiga com eles. Sabe aquela vontade de querer que outras pessoas leiam? Então, foi isso. Desde então passei a acompanhar a … Continue reading Nada vai acontecer com você, de Simone Campos

A vida perto da morte, de Rachel Clarke

Sou de uma família muito religiosa. Minhas avós eram portuguesas. A paterna eu vi apenas uma vez, mas lembro que quando ela veio ao Brasil nós a levamos até a Catedral da Sé. Cheguei a ir a algumas missas com a materna. Inclusive, quando ela faleceu, encontramos papeis de santos pela casa toda. Ela foi à minha primeira comunhão. Eu queria ir para a igreja … Continue reading A vida perto da morte, de Rachel Clarke

Eu, Tituba: Bruxa negra de Salem, de Maryse Condé

É sempre muito difícil encontrar documentos e livros a respeito de mulheres importantes da história. Lido muito com isso na literatura, em que exemplares de escritoras são simplesmente esquecidos e nunca ganham novas edições. Até topar com o livro de Maryse Condé, Eu, Tituba: Bruxa negra de Salem (publicado no Brasil pela Rosa dos Tempos, com tradução de Natalia Borges Polesso e prefácio de Conceição … Continue reading Eu, Tituba: Bruxa negra de Salem, de Maryse Condé

No útero não existe gravidade, de Dia Nobre

Acho que posso soar repetitiva, mas eu nunca me canso de dizer que a melhor parte do Leia Mulheres é conhecer mulheres incríveis. Com a Dia Nobre não foi diferente. O primeiro contato foi por twitter, algumas amigas em comum e ela me convidou para gravar um podcast. Naquela noite parecia que já nos conhecíamos há tempos e a conversa fluiu maravilhosamente bem. Pouco tempo … Continue reading No útero não existe gravidade, de Dia Nobre